COMO DESENVOLVER A ATENÇÃO QUE CURA

Sente-se confortável e tranqüilamente. Deixe o seu corpo repousar comodamente. Respire com suavidade. Desapegue-se de seus pensamentos do passado e do futuro, das lembranças e projetos. Esteja apenas presente. Comece a deixar que seu corpo precioso revele os lugares que mais precisam de cura. Deixe que as dores físicas, as tensões, as doenças ou as feridas se mostrem. Dedique uma atenção cuidadosa e bondosa a estes lugares doloridos. Com vagar e cuidado, sinta a energia física desses lugares. Note o que está encerrado dentro deles, as pulsações, o tremor, a tensão, as agulhadas, o calor, a contração, a aflição, que formam aquilo que chamamos “dor”. Deixe que tudo isso seja sentido plenamente, sena envolvido em uma atenção receptiva e bondosa. Então conscientize-se da área que circunda o seu corpo. Se houver contração e contenção, observe-as com ternura. Respire suavemente e deixe que elas se abram. Em seguida, do mesmo modo, conscientize-se de quaisquer aversões ou resistências que existam em sua mente. Observe-as também, com uma atenção suave, sem resistir, deixando que elas sejam como são, deixando que se abram a seu próprio tempo. Agora, observe os pensamentos e medos que acompanham a dor que você está pesquisando: “Isso nunca passará”, “Não posso suportar isso”, “Não mereço isso”, “É difícil (problemático, profundo) demais”, etc.

Deixe que esses pensamentos repousem nessa atenção bondosa por algum tempo. E, suavemente, faça-os retornar ao seu corpo físico. Agora deixe que a sua percepção consciente se aprofunde e torne possível mais coisas. Novamente sinta as camadas do local da dor e deixe que cada camada que vai se abrindo circule, para se intensificar ou se dissolver a seu tempo. Transponha sua atenção para a dor, como se você estivesse ninando gentilmente uma criança, envolvendo-a numa atenção amorosa e calmante. Respire suavemente dentro dela, aceitando tudo o que está presente com uma bondade curadora. Continue essa meditação até se sentir intimamente religado com qualquer parte do seu corpo que o chame, até se sentir em paz.

À medida que a sua atenção curadora se desenvolve, você pode dirigi-la regularmente a áreas significativas de doença ou dor no seu corpo. Você poderá então examinar atentamente o seu corpo em busca de áreas adicionais que requeiram sua atenção cuidadosa. Do mesmo modo, você poderá dirigir uma atenção curadora às profundas feridas emocionais que está carregando. A mágoa, a ansiedade, a raiva, a solidão e o sofrimento podem ser sentidos, em primeiro lugar, no seu corpo.

Com uma atenção cuidadosa e bondosa, você poderá alimentar um sentimento profundo dentro dessas feridas. Permaneça ao lado delas. Depois de algum tempo, respire suavemente e abra sua atenção para cada uma das camadas de contração, emoções e pensamentos que vêm carregados com elas. Finalmente, deixe que também esses repousem, como se estivesse suavemente confortando uma criança, aceitando tudo o que está presente, até se sentir em paz. Você pode trabalhar com o coração, desse modo, com a freqüência que desejar. Lembre-se de que a cura do nosso corpo e do nosso coração está sempre presente. Ela apenas espera a nossa atenção compassiva.

(UM CAMINHO COM O CORAÇÃO/Jack Kornfield)

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Seguidores